quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

HOSPEDAGEM SUSTENTÁVEL

A Fazenda das Videiras está a 1012m do nível do mar, às margens do Riacho da Ponte Funda e no centro de um vale, entre a Serra de Araras (1.257m), onde fica a Reserva Biológica de Araras, e a Serra do Couto (1412m), onde está a Zona de Vida Silvestre do Vale das Videiras. Está, assim, no meio de um corredor natural da fauna, entre duas áreas protegidas. Desde setembro de 1996, quando compraram a fazenda que viria a abrigar a pousada, o casal Erni e Gaspar Vianna decidiu que desenvolveria ali não só uma conduta preservacionista, com o propósito de respeitar e proteger a flora, a fauna e as águas, mas se dedicaria também a adotar práticas intervencionistas, estas no sentido de ampliar as condições naturais que foram encontradas. Portanto, a adoção de práticas de sustentabilidade são decorrentes de um compromisso de cidadania assumido há mais de uma década e não de um interesse recente, estimulado pela moda ou por razões comerciais ou mercadológicas. A pousada Fazenda das Videiras, ao iniciar o seu funcionamento em 1999, já encontrou elaborado e em andamento o Projeto Vida – um conjunto de medidas destinadas a contribuir para que o corredor de fauna em que está inserido o empreendimento apresente condições cada vez mais favoráveis ao trânsito da vida silvestre.

O QUE JÁ FOI FEITO PARA PRESERVAR A NATUREZA

Em 1996, o antigo casarão da fazenda encontrava-se em ruínas. A recomendação do arquiteto foi pela sua demolição. Mas a decisão dos proprietários, Erni e Gaspar Vianna, foi no sentido de preservar o lugar em todos os sentidos, não só o arquitetônico, mas também o ambiental, o cultural e o social. Para a restauração do casarão colonial foram utilizadas madeiras de fazendas demolidas e adquiridos materiais de construção que não dependessem da destruição da natureza. Assim sendo, não houve interferência na paisagem e respeitou-se a cultura local. Aliás, na área construída, houve a preocupação com os deficientes físicos: acessos à pousada feitos por rampas, circulação interna sem escadas e oferecimento de um apartamento adaptado. Os detalhes relativos a equipamentos, como rede de esgoto, foram severamente planejados de modo a não causar nenhum impacto ambiental. Para tanto, foram construídas dezenas de fossas e sumidouros segundo as tecnicas mais recomendadas. Com a finalidade de evitar desequilíbrios ambientais e permitir a perfeita interação com o meio ambiente, o crescimento da “população” da pousada ficou “ideologicamente” restrito a um limite de 30 (trinta) hóspedes diários. Presentemente, a pousada hospeda 2 pessoas em 7 unidades e 4 pessoas em 2 unidades - um máximo de 22 hóspedes diários. Em perfeita harmonia com a natureza, já a partir da entrada da fazenda os caminhos internos e os estacionamentos foram pavimentados com pedras excedentes, retiradas de riacho da Ponte Funda – que corta a propriedade – sem causar assim nenhum dano ambiental. Dos 20 hectares da área total da fazenda, apenas 8% (oito por cento) é ocupada pela pousada. O restante é mantido como Reserva Florestal Particular. Em área de 30000 m2 que havia sido degradada com um pasto e destruída por um incêndio, plantamos mais de cem árvores nativas da Mata Atlântica, dentre as quais quaresmeiras, ipês, cássias fedegosos, suínãs, grumixamas, araucárias, coqueiros jussara e aroeiras, sendo esta uma árvore ornamental que dá pequenos frutos vermelhos, muito apreciada pelos pássaros. Reproduzimos diversas espécies frutíferas, tais como o abacate, o caqui, o pêssego, a uva, a pitanga, a uvaia, a nespera e a bananeira. A maioria dos funcionários reside no distrito de Araras e Videiras, o que configura dezenas de empregos diretos e indiretos. Todos têm carteira de trabalho assinada, todos os direitos trabalhistas são regularmente pagos. Para serviços de marceneiro, bombeiro, eletricista e outros de natureza eventual é dada preferência sempre para os profissionais residentes no Vale das Videiras. A água da piscina, dos chuveiros e das pias é potável e vem diretamente de uma nascente alta, dentro da Reserva Florestal Particular. O cloro usado para o tratamento da água da piscina é orgânico, preservando a potabilidade da água. Aliás, a visita à Reserva Florestal é incentivada e o passeio pelas trilhas ecológicas autoguiadas é gratuito. Ali poderão ser observados pássaros e pequenos animais silvestres. A pousada disponibiliza condutores e guias. Uma placa, à entrada da RFP estabelece um “código de conduta”, ou seja, as condições de uso (ver foto). Em 2005, iniciamos a coleta seletiva de lixo, com trabalho de conscientização dos empregados. O lixo orgânico iniciou a ser utilizado em nossa primeira composteira. Desde 2006, em nossos jardins passeiam galinhas d´angola e pavões. Além de enfeitarem o ambiente e atraírem outras aves, “trabalham” para o equilíbrio ecológico, não só comendo formigas e outros pequenos insetos, como igualmente “adubando” o solo por onde passam. Mas, como nem tudo é perfeito, estas aves, provando o bom-gosto, passaram a se alimentar na nossa horta de ervas e legumes orgânicos. O jeito foi construir, em 2008, uma estufa para a produção de nossos legumes, hoirtaliças e ervas, bem como de uma segunda micro-usina de compostagem (composteira doméstica simples) para absorção de 100% do lixo orgânico da pousada.

PRINCIPAL PREMIAÇÃO: OS RESULTADOS QUE JÁ SÃO VISÍVEIS

É incrível – quase inacreditável – que, passados apenas doze anos, já sejam visíveis fortes mudanças ambientais na Fazenda das Videiras. O número de árvores aumentou sensivelmente. Além das espécies que plantamos, é de notar, com facilidade, uma recuperação da natureza, com o surgimento espontâneo de novas espécies, bem como a difusão acentuada de algumas delas, especialmente nas áreas que estavam degradadas. Mais pássaros: beija-flores, bem-te-vi, sabiás, maitacas, andorinhas, tiziu e canário-da-terra nidificam junto à área construída e com circulação de pessoas, sentindo-se protegidos. Tal comportamento contribui para o surgimento de aves novas, isto é, que não eram vistas por aqui, como saíras, sanhaços, saracuras, jacus, tucanos e pombos silvestres. Pequenos animais: serelepes e quatis já se multiplicaram e procuram alimento sem temer a aproximação dos seres humanos. Mais água. Possivelmente graças à recuperação de parte da floresta e a introdução de novas espécies de árvores, se observa que, embora discretamente, as duas nascentes dentro da propriedade aumentaram o volume de água produzida.

SEGUNDA PREMIAÇÃO

A partir da edição de 2009, o Guia 4 Rodas Brasil passou a emitir o “selo verde” destinado a identificar os hotéis comprometidos com as normas do LEED - Leadership in Energy and Environmental Design - dos Estados Unidos e do Green Star Accreditaton, da Austrália, órgãos que são referência mundial na certificação de empreendimentos sustentáveis. Para nossa satisfação, após detalhada inspeção, a Pousada Fazenda das Videiras foi considerada um dos 28 estabelecimentos hoteleiros do Brasil que preservam o meio ambiente e adotam práticas ecologicamente corretas.

O QUE ESTAMOS FAZENDO OU VAMOS FAZER

Neste ano de 2009, estamos desenvolvendo ou pretendemos desenvolver as seguintes atividades prioritárias: 1. Utilização crescente de material reciclado. Introduzir nos chalés e apartamentos canetas e blocos de anotações produzidos com material reciclado. Implantado. 2. Oferecimento de Amenidades Ecologicamente Corretas. Mudar os nossos fornecedores de sabonetes, shampoos, condicionadores e outras amenidades para empresa comprometida com a preservação ambiental. Implantado. Troca das amenidades para a linha de cosméticos biodegradável da marca ECCO – Eccological Cosmetics, cuja produção está comprometida com a preservação do meio ambiente. 3. Substituição gradativa de todas as lâmpadas, de forma a utilizar apenas as mais econômicas e assim diminuir o consumo de eletricidade; Implantação iniciada em abril-2009. Já trocamos a iluminação externa do casarão e das vias de acesso por luzes frias. 4. Aquisição de produtos biodegradáveis para a limpeza; implantação iniciada em abril-2009. 5. Criação de abelhas selvagens sem ferrão com o objetivo de contribuir na polenização e propagação das espécies vegetais e, suplementarmente, obter mel de qualidade para consumo dos hóspedes na pousada; previsto para a primavera/2009 (setembro). 6. Plantio, pelos nossos hóspedes, de árvores nativas da Mata Atlântica. Na oportunidade, será assinada uma Certidão de Nascimento, no qual será descrito o nome da espécie vegetal, o local no qual a árvore foi plantada, o nome dos seus pais naturais - aqueles que a plantaram – e o dia e hora em que ela foi plantada. Na mesma oportunidade, a Fazenda das Videiras assina um “Termo de Adoção de Árvore Nativa”, através do qual nós assumiremos o compromisso de zelar pelo desenvolvimento e pela integridade daquela árvore que nasce. O hóspede não terá nenhum custo, nem qualquer compromisso adicional. A idéia central é sensibilizar para a importância do gesto e de seu simbolismo. previsto para a primavera/2009 (setembro) 7. Ampliar a população de borboletas, pássaros e pequenos animais, sem que isso cause desequilíbrio ambiental. em estudo. 8. Promover a educação ambiental, envolvendo os hóspedes da pousada nas práticas de sustentabilidade. Os hóspedes são convidados a entender e praticar a sustentabilidade. Uma caminhada de apresentação pelas dependências da pousada, acompanhada pelos proprietários ou por um funcionário treinado, explica o conceito de “hospedagem sustentável” que procuramos imprimir. Depois de entender o conceito, os hóspedes são convidados a participar da separação do lixo que produzem nos quartos e a economizar água nos banhos e nas torneiras, bem como a trocar as toalhas apenas quando necessário. Previsto para 2010. 9. Aprimoramento da Qualificação dos Empregados - O hotel pretende interagir com o SENAC e disponibilizar bolsas de estudo para os empregados que desejarem aprimorar a qualificação. Previsto para 2010.


Prezado Leitor: Nosso compromisso com a preservação do meio ambiente se inciou em setembro de 1996, quando compraram a fazenda que viria a abrigar a pousada, o casal Erni e Gaspar Vianna decidiu que desenvolveria ali não só uma conduta preservacionista, com o propósito de respeitar e proteger a flora, a fauna e as águas, mas se dedicaria também a adotar práticas intervencionistas, estas no sentido de ampliar as condições naturais existentes. Portanto, a adoção de práticas de sustentabilidade são decorrentes de um compromisso de cidadania e não de um interesse recente, estimulado pela moda ou por razões comerciais ou mercadológicas.


Fazenda das Videiras

http://www.videiras.com.br/

atendimento@videiras.com.br

(24) 2225-8090

5 comentários:

  1. ótima matéria, se quiser saber mais sobre "abelhas selvagens", ou mais conhecidas com abelhas indígenas sem ferrão (meliponicultura), vá nesse blog: www.meliponariodosertao.blogspot.com, trabalhamos com 9 espécies de abelhas sem ferrão, trabalho de preservação que envolve toda uma família apaixonada por abelhas nativas do Brasil.

    att,

    Kalhil Pereira França
    Mossoró-RN
    www.meliponariodosertao.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Olá, você é a mesma Patrícia Gomes daquele evento Mestres do Mundo no Ceará?

    ResponderExcluir
  3. Deve ser um local lindo mesmo!
    Um excelente ano, Amiga!

    ResponderExcluir
  4. Bela iniciativa deles, Patty.
    Boa matéria. Abraço.
    Blog: http://robertocarloscosta.wordpress.com

    ResponderExcluir
  5. Gostaríamos da sua participação como membro em nosso blog.
    O objetivo é informar da melhor forma possível questões como:
    Sustentabilidade, Turismo, Pousadas e hotéis nas regiões Brasileiras.
    Com isso estaremos informados e poderemos estar passando um pouco da nossa
    Pesquisa de hotelaria e turismo.

    Esperamos que seja mais um seguidor.
    Abraços.

    http://tecnicoemhospedagem.blogspot.com/

    ResponderExcluir